Falando sobre a depressão

Posted by on junho 6, 2016 in TEXTOS EXTRAS

Falando sobre a depressão

Infelizmente, a depressão vem se configurando como o mal do século XXI. Também, pudera: vivemos constantemente sob pressão, estamos mais isolados uns dos outros, temos menos tempo para refletir e meditar sobre nossos problemas e temos cada vez mais formas nada saudáveis de lidar com emoções negativas (medicamentos, comida, drogas, álcool etc.). Confira aqui algumas dicas que podem ajudar você nessa missão que não é impossível.
Quais são os sinais gerais da depressão? Muitas vezes acordamos nos sentindo um pouco triste, com vontade chorar. Entretanto, a depressão só se configura quando apresentamos este comportamento por um período prolongado de tempo e ele nos impede de funcionar normalmente. Conheça alguns sinais da depressão.
• Falta de energia/ disposição;
• Perda do prazer nas coisas que antes davam prazer;
• Dormir muito mais ou menos do que o normal;
• Sensação de tristeza, melancolia;
• Perda ou ganho de peso;
• Pessimismo e pensamentos negativos recorrentes;
• Pensamentos suicidas.
Mas, o que podemos fazer?
– Saiba que você não está sozinho – Assim como você, milhares de pessoas já passaram pela mesma situação ao menos uma vez na vida. Procure ler testemunhos de como elas aprenderam a lidar com a depressão; há vários sites disponíveis, busque inspiração! Também procure compartilhar seus sentimentos com alguém de confiança; esta pessoa vai querer e poder te ajudar.
– Vá aos poucos – Para superar a depressão, é necessário fazer exatamente o que a doença não te deixa fazer: sair com os amigos, se exercitar etc. Porém, é vital que você faça, mas comece aos poucos. Saia para fazer 20 minutos de caminhada em um dia, no outro, limpe a sala, ligue para um amigo e almocem juntos.
– Faça um trabalho voluntário – Já foi comprovado cientificamente que a prática do altruísmo tem um impacto fortíssimo na pessoa. A sensação de estar sendo útil e ajudando outras pessoas produz um efeito de prazer e bem-estar no cérebro que irá combater o efeito da depressão.
– Faça uma atividade física – Pois é considerada um antidepressivo natural. Além de melhorar o humor por liberar a serotonina, ele também libera adrenalina, o hormônio que faz com que você tenha mais energia e disposição. Se você já tinha uma rotina de exercícios, tente fazer metade dela. Se não, comece com uma caminhada leve. Você também pode recrutar um amigo ou familiar próximo para participar com você.
– Que tal um animal de estimação? – Você pode tentar criar um animal. Também existem estudos que comprovam que animais de estimação ajudam pacientes depressivos e pessoas idosas a melhorarem o humor. Além do laço emocional criado, quando estiver sozinho, você não estará sozinho de verdade porque terá o animalzinho.
– Procure ter qualidade no seu sono – Tente regular seu sono com chá de camomila ou outros produtos naturais, caso não esteja dormindo. A atividade física também ajuda nesse caso. Se estiver dormindo demais, use o despertador e se force a sair da cama.
– Luz do Sol – Ela é essencial para quem tem o humor depressivo. Tente expor-se a ela todo dia.
– Procure comer bem – Você precisa da energia e dos nutrientes. Além disso, a falta de vitamina B e ácido fólico desencadeia a depressão. O ômega-3 também ajuda a melhorar o humor.
– Preste atenção aos pensamentos negativos – Escreva os pensamentos negativos e procure evidências que os apoiem. Se possível, compartilhe com outra pessoa para que ela possa oferecer outra perspectiva.
– Procure profissionais que possam lhe ajudar – Psiquiatras e psicólogos são treinados para ajudar você. Em relação aos antidepressivos, eles não são necessários em todos os casos de depressão. Entretanto, mesmo que você já os tome, entenda que eles também têm limites e por isso é importante que você faça os outros pontos dessa lista.
Se você conhece alguém que esteja sofrendo com a depressão, além da lista acima que você pode apresentar, é bom que você:
• Tenha paciência;
• Não ceda aos desejos da pessoa (“quero me entupir de pizza”, “eu sei que a gente marcou, mas desisti”), é necessário ser um pouco “durão”;
• Seja sensível;
• Não minimize a dor do outro;
• Comprometa-se. Pode ser difícil, mas tudo o que o outro precisa de alguém estável que possa ajudar o depressivo na sua instabilidade.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *